A força dos festivais


Cannes, Veneza, Berlim, Toronto, São Paulo, Rio, Gramado… são muitos os festivais que mostram a sua força para dar visibilidade a filmes de todos os gêneros e de todas as nacionalidades. No Brasil, o Festival de Gramado, a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, o festival do Rio e muitos outros dão espaço para filmes brasileiros e oriundos de todas as partes do mundo. Difícil acompanhar esses eventos, riquíssimos em qualidade, mas de complicado acesso para quem vive no interior. Gramado encerrou sua edição de 2018 premiando o drama “Ferrugem”, de Aly Muritiba,  que já está nos cinemas da região. Também ganhou destaque no festival gaúcho o longa “Benzinho”, de Gustavo Pizzi, que levou o prêmio da crítica para filme nacional, e deu a Adriana Esteves o troféu de melhor atriz coadjuvante. Adriana vive atualmente a Laureta, de “Segundo Sol”, novela das 21h da Globo, de autoria de João Emanuel Carneiro, o mesmo que deu à atriz seu mais celebrado papel na TV, o de Carminha em “Avenida Brasil”. O longa estrangeiro premiado foi “As Herdeiras”, do Paraguai.

O filme Shoplifters, do cineasta japonês Hirokazu Kore-eda, foi o grande vencedor da Palma de Ouro do 71º Festival de Cannes, ocorrido em maio. O diretor já havia conquistado o Prêmio do Júri, em 2013. Cannes é um dos maiores e mais prestigiados festivais de cinema do mundo, e tudo o que acontece lá ecoa por todos os cantos.

Já o festival de Berlim premiou neste ano o romeno “Touch Me Not”, de Adina Pintilie, que levou a maior láurea, o Urso de Ouro de Melhor Filme.

O Festival de Veneza, que confere o cobiçado Leão de Ouro ao melhor filme em competição, terminaria ontem, com muita badalação em torno do novo longa de Damien Chazelle, First Man ( O Primeiro Homem) e ao protagonista Ryan Gosling. Esta matéria foi escrita antes da proclamação do resultado.

Neste segundo semestre muitas atenções vão se voltar para o festejado Festival de Toronto, evento cinematográfico canadense considerado forte termômetro para o Oscar. Em Toronto estarão dois dos mais esperados filmes do ano, o de Chazelle (First Man) e o de Alfonso Cuarón (Oscar de Melhor Direção por “Gravidade”), o drama “Roma”.

Os títulos mais aguardados deverão estar também na Mostra de Cinema de São Paulo, que acontece em outubro na capital paulista, reunindo centenas de filmes de todas as nacionalidades o obrigando cinéfilos a realizarem desafios para assistirem a todos os filmes interessantes.

Desde já , apesar de ser muito cedo, dois filmes despontam no panorama internacional, tanto pela expectativa de prêmios, quanto por ser possível conferir novos trabalhos de consagrados diretores. “O Primeiro Homem” (First Man) traz o vencedor do Oscar pelo estupendo musical “La La Land”, Damien Chazelle, praticamente inaugurando a corrida ao Oscar 2019. “Roma”, de Afonso Cuarón, coloca novamente o cinema mexicano num invejável patamar. Original da Netflix, e por isso já provocando polêmica nos festivais, “Roma” também desponta como um potencial candidato ao Oscar de Melhor Filme.

Os festivais de cinema são muito importantes, pois dão visibilidade a novos talentos e garantem espaço para nomes consagrados no cinema. E, a partir do segundo semestre, indicam caminhos para tudo o que o mundo cinematográfico mais anseia, o Oscar da Academia. Gostem os críticos ou não.

CINENOTAS

– estreou na cidade o terror “A Freira”, que tem a seguinte sinopse: “Presa em um convento na Romênia, uma freira comete suicídio. Para investigar o caso, o Vaticano envia um padre assombrado e uma noviça prestes a se tornar freira. Arriscando suas vidas, a fé e até suas almas, os dois descobrem um segredo profano e se confrontam com uma força do mal que toma a forma de uma freira demoníaca e transforma o convento em um campo de batalha”.

– “A Freira” (The Nun) é anunciado como “o capítulo mais sombrio de Invocação do Mal”. Dirigido por Corin Hardy, o novo terror promete agradar ao público cativado pela força de “Invocação do Mal”, de James Wan. A conferir.

MÚSICA

Os festejos em comemoração aos 192 anos de Limeira prosseguem com muitas e variadas atividades. No próximo final de semana o Parque Cidade recebe, no dia 14, a partir das 18 h, o show “Cássias Extraordinárias”, com a cantora Simone Carvalho interpretando os sucessos que marcaram a carreira de Cássia Eller. Em seguida, às 19h30min, sobe ao palco a banda Monallizza, com o já consagrado Tributo a Tim Maia.

No domingo, dia 15, às 20h, será a vez da Orquestra Sinfônica de Limeira se apresentar no Parque Cidade com o Concerto Especial reunindo as obras de ElVIS PRESLEY e do QUEEN. A regência é do Maestro Rodrigo Müller.

E no dia 20 de setembro, no palco do Teatro Vitória, a ópera “Dido e Eneas”, de Henry Purcell. Aguardem !

CINE VAGALUME

O Cine Vagalume da FCA Unicamp exibe nesta quarta-feira, dia 12, às 16 e 19h40min, o longa “As Neves do Kilimanjaro”, filme francês de 2011, com direção de Robert Guédiguian, que já fez “Lady Jane” e “Armenia”. Não se trata de remake do clássico homônimo de Henry King de 1952, com Gregory Peck e Ava Gardner.

O Cine Vagalume tem entrada franca, e conta como apoio da Secretaria de Cultura e Câmara Municipal de Limeira.

por José Farid Zaine

farid.cultura@uol.com.br

Twitter: @faridzaine

Facebook: Farid Zaine