CPI da COVID: Aziz anuncia prisão de ex-diretor da Saúde acusado de corrupção

Primeiramente a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) consiste na forma do parlamento exercer a sua principal função que é de fiscalizar. Segundo a constituição e a Lei 1.579 toda CPI deve apurar fatos determinados e ter um prazo certo de duração.

A CPI da Covid teve início no mês de janeiro quando o senador Randolfe Rodrigues começou a arrecadar assinaturas para dar início a essa comissão. Essa apuração de assinaturas começou devido às condições de falta de oxigênio para pacientes internados com covid, onde o parlamento decidiu então começar uma análise sobre as ações e omissões do Governo Federal diante a toda situação crítica que o país todo estava passando e que em janeiro causou um agravamento da pandemia, principalmente em Manaus.

A quantidade de assinaturas obtidas foi mais do que necessária para o início da CPI, mas ela não foi instalada imediatamente, só depois de um tempo que o ministro Luís Roberto Barroso determinou a instalação da CPI.

O objetivo dessa CPI é apurar as ações e omissões do Governo Federal diante do enfrentamento da pandemia provocada pela Covid 19 no Brasil com foco na crise sanitária que o Amazonas enfrentou em janeiro. Com o passar dos dias a CPI vem investigando muito mais coisas e descobrindo muitas histórias por trás dos panos expondo toda a situação a população.

Todos os participantes da CPI da Covid fazem um juramento para falarem a verdade e não fazerem falsas afirmações, negarem ou calarem a verdade, seja no papel de testemunha, perito, contador, tradutor ou intérprete. Isso é uma medida que acontece em qualquer processo judicial, administrativo, inquérito policial ou qualquer processo do tipo. Caso a verdade não seja dita é estabelecido como crime e o culpado é levado a prisão, o que aconteceu essa semana com Roberto Dias, ex-diretor da Saúde.

A decisão do mandado de prisão do ex-diretor da saúde se deu devido à denúncia de Aziz que disse que Dias tinha cometido perjúrio desde o início de sua participação na CPI, violando assim o juramento de apenas falar a verdade. A pena é de reclusão de 2 a 4 anos e uma multa, onde pode aumentar caso for comprovado que o falso testemunho tenha sido praticado por meio de suborno ou algo que venha a beneficiar alguma parte e prejudicar o processo.

O suposto falso testemunho feito por Roberto Dias foi a respeito de um encontro dele com Dominghetti, onde ele afirmou ter encontrado ele incidentalmente. O seu testemunho foi colocado a prova logo após a divulgação de trocas de mensagens no celular de Dominghetti onde provam que esse encontro foi todo marcado.

A CPI Covid ainda continua rolando e todos os brasileiros estão na espera para saber o que ainda está por vir e quais os resultados que esse processo irá trazer com o seu fim, aguardando assim os dias que ainda restam para isso.